Textos - Luto

ADULTO

Luto

A morte de alguém próximo que estimamos é com certeza uma das mais intensas experiências de perda que nos acontece.

A dor vivenciada se entrelaça no nosso dia a dia, afeta nosso corpo e nosso jeito de ver a vida.

Não adianta querer espantar a dor ou querer que passe logo. O luto é um processo lento de reestruturação da vida agora sem a presença deste alguém que morreu.

No início se custa aceitar esta nova realidade e a sensação inicial é de torpor. O torpor é uma reação de defesa do organismo frente ao impacto, amortecendo-o de forma a dar tempo para a pessoa se organizar. Demora até a pessoa se adaptar a esta mudança tão significativa em sua vida.

No início é normal uma reação de negação ao que aconteceu, a aceitar de que não verá mais aquela pessoa, que não contará mais com ela. Esta negação faz também parte deste processo de absorver o fato e acomodar as emoções.

Vários sentimentos podem ser experimentados neste momento, tais como: tristeza, raiva, culpa, saudade, etc.

No entanto, a forma como esta pessoa morreu influencia na forma de como experimentamos o luto. As mortes súbitas, violentas ou por acidente geram com freqüência sentimentos mais intensos, como ansiedade, impotência e raiva.

Na maioria dos casos são comuns manifestações físicas, como: dor ou aperto no peito, cansaço, dificuldades para dormir e perda do apetite.

O melhor não é reprimir esta dor, mas permitir sua expressão. Reprimir as emoções pode ser bem mais sofrido, além de atrapalhar este processo de luto prolongando-o.

Com o passar do tempo os sentimentos vão perdendo sua força e a vida aos poucos vai voltando ao normal.

A perda de um ente querido nos dá muitas vezes a oportunidade de rever o estilo de vida que adotamos, nos deixando mais consciente da finitude da vida e da natureza mutável de muitas coisas.

Quando sentimentos referentes à perda de alguém se mantêm com intensidade e por um tempo prolongado é necessário na maioria das vezes considerar a possibilidade de conversar com um psicoterapeuta.

Aceitar o luto é o primeiro passo para uma melhor resolução desta perda. É necessário ser compreensivo consigo e aceitar seus sentimentos.

É também interessante compartilhar seus sentimentos com quem confia de que seja capaz de escutá-lo sem fazer julgamentos.

E é muito importante ao enlutado lembrar que ele não está sozinho nesta dor, uma vez que ela é vivida por todos.

Indicação de Filme:
Nome: O Quarto do Filho
Título Original: La stanza del figlio
Direção: Nanni Moretti
Roteiro: Nanni Moretti e outros
Ano: 2001
País: Itália, França

Rosângela Martins
Psicóloga
CRP 07/05917






Localização dos Consultórios:
Centro Histórico de Porto Alegre:
Rua Gen. Andrade Neves, 155 conj. 63 – Centro - Porto Alegre - Telefones: (51) 3225.1171 e (51) 98337.4242

Atendimento de segunda à sábado
rosangelamartinspsicologa@gmail.com
Desenvolvido por Brainstorm Soluções Inteligentes | www.bstorm.com.br