Textos - A Separação dos Pais e os Sentimentos dos Filhos

ADULTO

A Separação dos Pais e os Sentimentos dos Filhos

Quando os pais informam à criança que decidiram pela separação, esta vivencia normalmente uma angustia que esta ligada a incerteza com relação ao futuro. Esta sendo informada de que muitas coisas certamente irão mudar e ela não sabe como que ficará a sua vida.

Esta angustia é aumentada, pois além das incertezas que esta mudança trará, sente que os pais estão normalmente abalados e naturalmente enfrentando uma crise e isto gera insegurança a criança.

Dependendo da idade da criança esta pode fantasiar ser a responsável pela a separação. Pode achar que ela tenha feito algo que atrapalhasse a relação dos pais. Pode também temer que com a separação aja um distanciamento de um dos pais ou dos dois, e muitas vezes pode entender a separação como uma atitude de desamor e abandono.

Este sentimento pode ser desencadeado por que os pais neste momento tendem a se centrar na situação da separação, o que em parte é muito natural, e os filhos ficam angustiados com esta ausência de olhar.

As separações entre os casais se dão em diferentes condições, algumas mais amigáveis e outras com mais conflitos e brigas.

Esta condição em que se dá a separação tem maior ou menor influencia sobre o estado de angustia da criança. No entanto, mesmo em situações em que a separação se dá de forma mais amadurecida, ainda assim a criança se desestabiliza com a incerteza.

Porém, temos que entender que a vida é mutável e que a crise faz parte da vida, e esta ligada a todas as condições de mudança.

Sendo assim, quando um casal se defronta com a impossibilidade de seguir juntos pela falta de afinidade e pelos conflitos encontrados, a separação pode ser a melhor solução. E será a melhor solução também para a criança, apesar da crise enfrentada.

Para uma criança, conviver com os pais juntos em uma relação não saudável, gera muito mais prejuízo psicológico do que enfrentar a separação destes.

O que vai determinar o quanto uma criança pode ficar afetada emocionalmente de uma forma negativa frente a uma separação são outros fatores.

Entre eles:

A imaturidade dos pais e a forma como conduzem este processo - em alguns casos, envolvendo a criança nas brigas e responsabilizando-as por questões que dizem respeito ao casal e não aos filhos.

Quando estes pais durante a separação para “poupar” o filho, lhe omitem informações sobre o que esta acontecendo e o que vai acontecer. Agindo assim não ajudam a criança entender o que se passa e não as prepara para as mudanças. Deixando-a sozinha com o sofrimento de uma angustia ainda maior, pela falta de orientação.

Esta falta de informação e orientação à criança pelos pais, pode também ocorrer, em função de que estes pais neste momento se centrarem tanto em seus conflitos e nas brigas e realmente abandonarem os filhos em seus cuidados.

A indicação de um atendimento psicológico a criança é pertinente quando ela não esta conseguindo administrar emocionalmente este processo e demonstra um sofrimento que denota em sintomas, que geram prejuízo em sua vida.

Quando a separação dos pais é vivida de uma forma traumática para a criança, ou seja, que ela não tenha conseguido organizar emocionalmente esta passagem de uma forma o suficientemente satisfatória para si, pode no futuro desencadear em problemas nos relacionamentos ou na falta de confiança nos vínculos, entre outras dificuldades, que dependerão em como foi vivenciado esta crise.

Em um processo de separação, pais mais maduros, poderão dentro do possível administrar esta crise com uma certa ordem, de forma que ajude a criança a entender o que esta se passando, principalmente naquilo que diga respeito a ela.

Desta forma, sentirão que estes pais, apesar de estarem em um momento difícil, estão procurando enfrentar as dificuldades e estão em busca de uma melhor organização para as coisas.

Esta atitude dos pais gera na criança confiança frente à situação.

Sentem-se como que em um barco que pode neste momento estar enfrentando ondas bravas, mas que tem alguém manobrando o timão a fim de maneja-lo até a um mar mais tranquilo.

Indicação de Filme:

Nome: Valentin

Título Original: Valentin

Direção: Alejandro Agresti

Roteiro: Alejandro Agresti

Ano:2002

País: Argentina e Holanda

Rosângela Martins
Psicóloga
CRP 07/05917






Localização do Consultório:
Psicóloga no Centro Histórico de Porto Alegre:
Rua Gen. Andrade Neves, 155 conj. 63 – Centro - Porto Alegre - Telefones: (51) 3225.1171 e (51) 98337.4242
Psicóloga Adolescentes e Adultos

Atendimento de segunda à sábado
rosangelamartinspsicologa@gmail.com