Textos - Roer unhas

ADOLESCENCIA

Roer unhas

O bebê inicialmente explora o mundo através da boca. Nesta fase da vida a criança descobre diferentes partes do seu corpo e entre elas seus dedos e suas unhas. Muitas vezes morde experimentando a sensação que desperta.

Nesta fase dá muito prazer ao bebe estas descobertas, e este deleite é sentido através da boca que fica neste período sendo o foco de gratificação libidinal.

Com o passar do tempo à criança passa a utilizar outros recursos de comunicação com o meio ambiente, cumprindo as etapas do seu desenvolvimento.

Fica desta forma, o registro emocional no ser humano de que o morder os dedos foi uma pratica de prazer vivido no passado.

Durante o desenvolvimento, frente a situações de estresse mais intenso, algumas pessoas retrocedem ao experimentado na fase inicial da vida e podem eleger o roer unha como uma forma de relaxamento e descarga frente a tensão, buscando inconscientemente o prazer experimentado no passado. Assim como outras pessoas escolhem o comer excessivo, o fumar etc.

O roer unha passa a ser um sintoma quando ele é usado continuamente, o que representa uma tentativa de dar conta de uma tensão interna que não consegue a via de expressão correta. Por exemplo, a dificuldade que a pessoa tenha de enfrentar diferentes situações da vida, por motivos que muitas vezes lhe são desconhecido, pode levar a pratica frequente de roer unha como uma tentativa de descarga do desconforto que ela experimenta frente a estas situações.

Utiliza-se o termo técnico de onicofagia, para pratica frequente de roer unhas. Como sintoma a onicofagia é a representação de um distúrbio emocional.

Os estudos a respeito deste assunto não conseguiram determinar a causa mais precisa sobre este problema. Ou seja, por que exatamente algumas pessoas elegem o roer unha como sintoma.

Sabe-se, no entanto, como referido anteriormente, que esta compulsão esta ligada a ansiedade e a tensão, onde o individuo escolhe o roer unhas e muitas vezes arrancar as cutículas e peles dos dedos, como uma fonte de prazer e descarga.

Este comportamento traz como consequência outros problemas importantes que estão associados,como por exemplo: anormalidade nos dentes, infecções da pele ao redor das unhas, podendo também levar micróbios e vírus para boca e desencadear diferentes doenças.

O tratamento da onicofagia exige uma analise individual da personalidade, com seus conflitos e defesas, dentro de um processo psicoterapêutico, a fim de que o psicólogo possa buscar junto a pessoa afetada, no seu mundo emocional, o entendimento do significado da eleição do roer unha como forma de escape.

Rosângela Martins
Psicóloga
CRP 07/05917






Localização do Consultório:
Psicóloga no Centro Histórico de Porto Alegre:
Rua Gen. Andrade Neves, 155 conj. 63 – Centro - Porto Alegre - Telefones: (51) 3225.1171 e (51) 98337.4242
Psicóloga Adolescentes e Adultos

Atendimento de segunda à sábado
rosangelamartinspsicologa@gmail.com